0073 – Adolescência, 1968: é pra lá que eu vou.

Da esquerda para a direita: Ricardo, Stalimir e eu, R. Santana, Porto Alegre, RS

Nasci em 1954, o que quer dizer muita coisa. Isso por que minha vida teve alguns fatores estruturantes que não foram absorvidos por esse fog de informações e de imagens enlouquecidas que passam a uma velocidade tão rápida, que não conseguimos, sequer, dar-lhes significado. Sou de uma geração que estudou em escola pública, na qual tínhamos aula de inglês, de francês, de gramática e de redação (ou composição, como era chamada). O inglês e o francês faziam parte do currículo, não eram opcionais. E, repito, estudei em escola pública em Porto Alegre. Quando saía de casa o vento zunia, as aulas eram de manhã.

Tudo isso para dizer que, no meu caso, eram estruturantes o discurso, a palavra e o mundo simbólico. Sou de uma geração que sofria limites impostos pelos pais, mas que não era limitada por eles. Conviver com o mundo respeitando valores era uma guia certa. Na época, crianças se portavam e os demais esperavam igualmente que elas se portassem como crianças.  Era o que acontecia. Em outras palavras, vivíamos nosso tempo de infância, até que algumas coisas começaram a inquietar-me. Algumas coisas físicas e outras relativas ao mundo em que eu estava vivendo. Com dez anos, soube que a ditadura instalara-se no país, mas até então as coisas não eram muito claras, não queria dizer muito. Lembremos: crianças eram crianças.

E eu, no caminho para a adolescência (que na época se denominava puberdade), estava apenas, por assim dizer, começando.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s